RSS

Historiador da IPB fala sobre a história da Escola Dominical

09 out
 
 
 Após a ED |1931
IGREJA PRESBITERIANA DE CAMPOS – PRÉDIO ANTIGO NA BARÃO DO AMAZONAS | Após a ED – 1931 
 
Há mais de 200 anos, a Escola Dominical é uma das instituições mais importantes das igrejas evangélicas em todo o mundo. Ela foi um dos frutos do Avivamento Evangélico Inglês do século 18, liderado por John Wesley, George Whitefield e outros. O jornalista Robert Raikes, da cidade de Gloucester, e outras pessoas começaram a se preocupar com a situação das crianças pobres que  perambulavam pelas ruas aos domingos, sem nenhuma assistência. Criaram então escolas que lhes transmitiam conhecimentos básicos de aritmética, gramática e ensino bíblico. Esse movimento teve rápida aceitação na Inglaterra e logo depois nos Estados Unidos.  As igrejas abraçaram essa inovação, vendo sua enorme utilidade para a educação cristã não só das crianças como também dos adultos.
 
O vasto movimento missionário do século 19 se encarregou de difundir as escolas dominicais por todo o mundo. Os primeiros missionários protestantes que vieram para o Brasil utilizaram esse recurso desde o início. A primeira escola dominical brasileira foi fundada pelo Rev. Robert Kalley e sua esposa Sarah Kalley na cidade de Petrópolis, no dia 19 de agosto de 1855. Por sua vez, o Rev. Ashbel Green Simonton criou a primeira escola dominical presbiteriana em 22 de abril de 1860, no Rio de Janeiro. Desde então, a ED tem sido uma parte integrante das igrejas presbiterianas no Brasil.
 
Nas primeiras décadas do século 20, um grande paladino da Escola Dominical foi o Pb. Eliézer dos Santos Saraiva, da Igreja Presbiteriana Unida de São Paulo, que não só dinamizou as atividades de educação cristã dessa igreja histórica, mas fundou dezenas de escolinhas dominicais nos bairros.  Essas escolinhas deram origem a muitas igrejas da capital paulista. Um evento muito apreciado naquela época em muitas igrejas era o Dia do Rumo à Escola Dominical, mais conhecido como “Dia do Rumo”. Os crentes eram instruídos a convidar tantos visitantes quanto possível, de modo que as igrejas ficavam repletas. Existe uma foto do Dia do Rumo na Igreja Presbiteriana de Rio Claro (SP) por volta de 1924. Naquele dia, quase 1.000 pessoas participaram da escola dominical.
 
Infelizmente, hoje em dia muitos pastores e igrejas não mais valorizam esse importante instrumento. Algumas igrejas já não possuem escola dominical. Alega-se que se trata de uma coisa ultrapassada, que não combina com as realidades do mundo atual. Com isso, os crentes perdem uma grande oportunidade para o seu aprendizado cristão. É claro que a Escola Dominical não deve ser estática, sempre com o mesmo estilo e formato. São possíveis e até necessárias certas mudanças e atualizações para torná-la mais eficiente e dinâmica. Mas o fato é que a educação cristã é uma das necessidades mais importantes dos seguidores de Cristo e a escola dominical tem sido o meio mais eficaz para realizar essa tarefa.
 
A escola dominical certamente tem sido um recurso valioso na história da Igreja Presbiteriana de Campos. Nela muitas pessoas investiram suas vidas como superintendentes e professores, ao longo de mais de 130 anos. Nela muitas pessoas tiveram a oportunidade de conhecer a Cristo e de amadurecer no conhecimento das Escrituras e na experiência cristã. Faço votos de que essa igreja continue a reconhecer o valor da escola dominical e possa colher muitos frutos dessa antiga a abençoada instituição.
Rev. Alderi Souza de Matos
Historiador da IPB
 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: